Investing.com – O presidente Jair Bolsonaro se pronunciou nesta terça-feira ser contrário ao remanejamento de gastos sociais e congelamento no reajuste futuro de aposentadorias para garantir receita para o seu então novo programa de transferência de renda, o Renda Brasil, levando a suspensão de criação do novo benefício e garantindo a continuidade do Bolsa Família.

“Até 2022, está proibido falar em Renda Brasil no meu governo, vamos continuar com Bolsa Família”, afirma Bolsonaro no vídeo em postagem no Twitter, após apresentar as manchetes em que apontava remanejamento de gastos com corte de gastos de programas sociais e congelamento da aposentadoria. O presidente fala que talvez os estudos citados tenham saído de membros da equipe econômica.

“Congelar aposentadorias, cortar auxílio para idosos e pobres com deficiência, um devaneio de alguém que está desconectado com a realidade”, escreve o presidente na mesma postagem. Bolsonaro se refere à possibilidade de corte de gastos com Benefício de Prestação Continuada (BPC), com revisão das regras que beneficiam com um salário mínimo atualmente quase 2 milhões de idosos e pessoas carentes com deficiência, notícia da edição de hoje do jornal Folha de S.Paulo. Além disso, o congelamento nos próximos dois anos do reajuste inflacionário do ano anterior do valor das aposentadorias também está no tema do noticiário econômico nos últimos dias .

Os cortes e suspensão dos gastos futuros com previdência garantiriam os recursos para financiar o Renda Brasil.

“Como já disse, jamais tiraria dinheiro dos pobres para dar aos paupérrimos”, continuou Bolsonaro, relembrando que já tinha desautorizado estudos para extinguir o abono salarial e o seguro-defeso para garantir o dinheiro do seu programa de transferência de renda, que visava turbinar o Bolsa Família.

A fala apagou os ganhos da abertura do Ibovespa, que se recuperou parcialmente em seguida para depois voltar à estabilidade. Por volta das 11h55, o principal índice acionário brasileiro tinha leve avanço de 0,27% a 100.540 pontos,.

O dólar apagou a queda para operar estável a R$ 5,27.

Guedes adia participação em evento

O ministro da Economia, Paulo Guedes, adiou nesta terça-feira a participação em um evento pela manhã para se encontrar com o presidente Jair Bolsonaro no Palácio do Planalto.

A princípio, Guedes falaria no Painel Telebrasil 2020 às 9h. Depois o compromisso passou para 9h30 e, enfim, adiou-se para 12h, com a assessoria do evento atribuindo o ajuste a “mudanças na agenda do ministro”.

Duas fontes com conhecimento do assunto informaram à Reuters que Guedes está no Palácio do Planalto.

O Ministério da Economia não informou a pauta da reunião com o presidente, que ocorre em meio às definições das fontes de financiamento para um programa de transferência de renda mais robusto, que viria para substituir o Bolsa Família.

O governo enfrenta o desafio de elevar os gastos sem ferir a regra do teto de gastos, considerada única âncora fiscal do país. Para tanto, a opção seria cancelar despesas ou mudar o direcionamento ou regras de programas e benefícios sociais que já existem, alternativas que têm enfrentado resistência do presidente.

(Com contribuição de Reuters)

Veja os fatores que influenciam os mercados hoje


Publicidade

  • SpaceSearch


  • Produtos/Serviços SpaceMoney